Me Pergunte: É nas crises que conhecemos as pessoas?

(Foto: Divulgação)

2016 têm sido um ano meio turbulento, não só pela crise politica e econômica que querendo ou não afeta a todos do País, mas sobretudo, por algumas problemas na vida particular. Mas afinal, quem não passa por momentos de dificuldade na vida, não é mesmo?

Nesses momentos de dificuldades é fundamental o apoio daqueles que você mais gosta e tem afinidade, seja da família, amigos, enfim. Porém, é comum ouvirmos relatos de pessoas que se queixam que quando estão passando por algum problema, os amigos acabam se afastando. Mas será que eram amigos mesmos?

Acho que falta para alguns descobrir o real significado da amizade. Um site atribui a escritora Helena Gomes Silva, um texto muito interessante sobre o valor da amizade, na qual é dado um conselho muito importante. “Entretanto, não existe só alegria, amor, felicidade nesta relação, ela é como qualquer outro relacionamento, passa por crises passageiras, por momentos intempestivos, abalos ocasionais. Ainda que tenhamos muito carinho pelo amigo em questão, às vezes por insegurança, por ciúmes, por estarmos emocionalmente alterados ou nos sentindo pressionados, acabamos sendo injustos com ele e isso pode ser recíproco.”

 

Com empate diante do Atlético-GO em Belém, saiba qual a posição do Paysandu no Brasileirão

Rafael Costa - Paysandu x Atlético-GO (Foto: Fernando Torres/Ascom Paysandu)
(Foto: Divulgação)

Paysandu e Atlético-GO empataram em 0 a 0, na Curuzu, em Belém, pela 12ª rodada da Série B do Brasileiro, mas o placar não mostrou o que foi o jogo. As duas equipes fizeram uma partida movimentada, com várias chances, principalmente no primeiro tempo. Porém, o goleiro Marcos, do Dragão, brilhou e ajudou o seu time, que atuou boa parte do confronto com um a menos, a sair com o empate.

O primeiro tempo foi excelente. Desde o minuto inicial, o Paysandu atacou e criou boas chances, seja com Rafael Costa ou Fabinho Alves. Contudo, o Atlético-GO conseguia sair em velocidade nos contra-ataques usando as brechas deixadas pelo Papão. Dessa forma, quase marcou com Júnior Viçosa, que logo depois se saiu lesionado. A partida seguia aberta, mas, antes do intervalo, Gilsinho foi expulso por reclamação.

om um homem a menos em campo, o Atlético-GO recuou e praticamente só se defendeu no segundo tempo. O Paysandu tentou, mas sempre foi parado pelo goleiro Marcos, com grandes defesas. Aos poucos, porém, o time da casa foi caindo de produção. Nos instantes finais, o Papão já não apresentava o mesmo ímpeto e não foi capaz de alterar o marcador.

O Paysandu passa a somar 16 pontos e segue na 11ª posição, enquanto o Atlético-GO vai para 22 pontos e fica na segunda colocação, com as equipes aguardando o fechamento da rodada. Na próxima terça-feira, o Paysandu vai até Goiânia enfrentar o Goiás, 21h30, no Serra Dourada. Já o Atlético-GO receberá o Criciúma, mas na segunda-feira, 20h, no mesmo estádio.

Fonte: Globo Esporte PA

Castanhal recebe o I Encontro da Cadeia Produtiva da Pimenta

(Foto: Divulgação / Agência Pará)

O I Encontro da Cadeia Produtiva da Pimenta será realizado no dia 28 de junho, no Parque de Exposição Pedro Coelho da Mota, em Castanhal, no nordeste do estado. O evento, que tratará do cultivo da pimenta-do-reino no Pará, é uma promoção do Sindicato Rural de Castanhal em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), uma das realizadoras, junto com outras instituições parceiras, como a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap).

A programação elaborada pelos organizadores contempla a realização de seis palestras referentes à cadeia produtiva da pimenta. A primeira palestra será “Produção de Mudas Sadias de Pimenta do Reino”, depois serão apresentadas sequencialmente: “Produção de Pimenta do Reino na Visão de Um Produtor Rural”; “Adubação e Nutrição da Cultura da Pimenta do Reino”; “Irrigação em Pimenta do Reino” e “Doenças que Afetam a Cultura da Pimenta do Reino”.

A sexta e última palestra será proferida pelo engenheiro agrônomo da Emater, Leandro Manoel Raposo Pinheiro, que abordará o tema de encerramento da programação do evento, “Cultivo da Pimenta do Reino em Tutor Vivo”. O tema será complementado pela Visita Técnica em propriedade de Plantio da Pimenta do Reino em Tutor Vivo.

Fonte: Agência Pará

Capitão Poço recebe curso de certificação para agrônomos

(Foto:Divulgação)

De 21 a 23 de junho será ofertado o Curso de Certificação Fitossanitária de Origem Para as Pragas Quarentenárias Candidatus Liberibacter, Guignardia citricarpa Kiely e Xanthomonas axonopodis pv. citri, organizado pela Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), com apoio da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A programação será no Campus da UFRA de  Capitão Poço.

O público-alvo do curso são os Engenheiros Agrônomos de instituições públicas, privadas e profissionais autônomos. O curso habilita e credencia profissionais a área a emitirem o Certificação Fitossanitária de Origem (CFO/CFOC). O objetivo é habilitar agrônomos para realizar a CFO em propriedades produtoras de espécies hospedeiras das pragas Pinta Preta (Guignardia citricarpa Kiely), Greening (Candidatus Liberibacter) e Cancro Cítrico (Xanthomonas axonopodis pv citri) a fim de atender as exigências de trânsito nacional e internacional.

Como à Adepará cabe fiscalizar as propriedades, a produção e o trânsito, os engenheiros agrônomos da autarquia, por mais que sejam capacitados, não estão habilitados a certificar. Essa tarefa fica a cargo dos profissionais contratados pelos produtores. A Defesa Sanitária Vegetal é responsável por assegurar a sanidade dos vegetais que estejam aptos à comercialização, por meio de ações de combate, controle e erradicação de pragas que possam causar prejuízos aos cultivos agroflorestais do estado. As ações de prevenção minimizam os riscos de introdução e disseminação de pragas exóticas de risco potencial para a agricultura estadual.

A coordenadora do Programa de Certificação da Gerência de Pragas de Importância Quarentenárias, Gleicilene Brasil, lembra que o último curso desses, organizado pela Adepará e voltado à produção de citros, foi em 2008. “De lá para cá algumas coisas mudaram, em especial a demanda e o crescimento da produção paraense em dois polos, o de Capitão Poço e o de Monte Alegre. Com isso, a procura por parte de agrônomos em busca dessa habilitação aumentou consideravelmente”.

De acordo com o gerente da Regional de Capitão Poço, Pedro Júlio Miranda, o aumento da produção do município criou essa demanda por mais agrônomos habilitados, daí a iniciativa. “A Adepará sempre esteve muito atenta a Capitão Poço, que é o maior polo de citricultura do Pará. O setor é muito importante economicamente para o Estado. Com aumento da demanda de exportação da produção local, observou-se uma carência de profissionais habilitados a emitirem certificação fitossanitária de origem, por isso a Agência promove esse curso, que deverá habilitar mais 20 profissionais”.

O diretor de Defesa e Inspeção Vegetal da Adepará, Ivaldo Santana, ressalta a importância que a produção de citros vem ganhando nos últimos anos e seu impacto na balança comercial do estado. “Essa certificação dará subsídios para a exportação dos frutos paraenses, em especial para os Estados Unidos e Europa. O Pará é um dos estados que estão livres de pragas dessas culturas e isso atrai os produtores e interessa aos importadores”.

Fonte:Agência Pará

TV Brasil é a emissora que mais exibe filmes nacionais, diz Ancine

(Foto: Divulgação)

O monitoramento anual da grade de programação da TV aberta do país, feito pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), mostra que em 2015 a TV Brasil foi a emissora que exibiu o maior número de longas-metragens nacionais, seguida da Rede Globo e da TV Cultura.

Ao todo, de acordo com o levantamento, a TV Brasil veiculou 120 títulos nacionais, enquanto a Globo reproduziu 87 e a TV Cultura, 55. O SBT não veiculou nenhum longa nacional durante todo o ano passado. Já Band e Record, respectivamente, veicularam um e três filmes brasileiros.

O Informe de Acompanhamento do Mercado da TV Aberta, divulgado na última sexta-feira (17), verificou a veiculação de 2.082 longas-metragens na grade de programação da TV aberta em 2015. Desse total, foram 384 exibições de 262 obras brasileiras e 1.698 veiculações de filmes estrangeiras. O número corresponde a 18,4% e 81,6% de participação, respectivamente. O SBT veiculou 177 filmes estrangeiros. A CNT, a TV Gazeta e a Rede TV! não veicularam longas-metragens de qualquer origem durante o ano passado.

A pesquisa dividiu a programação das emissoras em cinco categorias: entretenimento, informação, educação, publicidade e outros.

Por outro lado, o monitoramento msotra que o conteúdo veiculado na TV aberta, como um todo, é de origem majoritariamente brasileiro, com 83,3% do total da programação. De 2014 a 2015, o levantamento registrou crescimento da ocupação da grade com programação nacional na TV Brasil (11%), além de ligeiro crescimento na CNT (2,1%), na Record (1,7%) e na Rede TV! (0,7%).

O Informe de Acompanhamento do Mercado de TV Aberta fez o monitoramento da programação das redes de televisão Band, CNT, Globo, Record, RedeTV!, SBT, TV Brasil, TV Cultura e TV Gazeta. Os dados compilados referem-se a conteúdos veiculados na cidade de São Paulo, onde está sediada a maior parte das emissoras que comandam a rede no país.

Educação

Em relação à veiculação de conteúdos educativos, a TV Brasil também se destaca na pesquisa. A categoria ocupa 10,8% na grade de programação. Em seguida aparece a TV Cultura, com 9,6%. As emissoras de TV aberta, no geral, destinaram apenas 2,8% da grade de programação para conteúdo educativo. Por outro lado, o entretenimento, como tradicionalmente a pesquisa mostra, ocupou o maior tempo da programação, com quase 50% de tudo que foi veiculado nas TVs abertas.

“No que tange especificamente à educação, categoria a que menos se atribuiu destinação de tempo na programação, observa-se que esteve totalmente ausente nas grades da Record e do SBT, e foi inferior a 1% a veiculação desse conteúdo na Band, na CNT e na Rede TV!. Apresenta-se no patamar de 1,5% a participação da categoria na TV Gazeta, e como 2,3% na veiculação do conteúdo na Globo”, informa a pesquisa.

A categorias outros – que inclui, especialmente, o conteúdo religioso (21,4%), informação (20,6%), e publicidade (5,9%) completam os segmentos de conteúdos exibidos da TV aberta.

Religião

O monitoramento feito pela Ancine mostra ainda que houve ampliação significativa da veiculação do conteúdo religioso na grade de programação da TV aberta. O conteúdo atingiu 21,1% da programação total. “Integrante da categoria outros e líder histórico de ocupação da grade, o gênero ultrapassa a marca de um quinto do tempo total de veiculação de programas pelas emissoras em 2015”, diz a pesquisa.

Logo após aparecem os telejornais, integrantes da categoria informação, com 14,6% de ocupação na grade de programação, seguidos das séries (11,6%), classificadas de entretenimento. Juntos, os gêneros religioso e telejornal ocupam 35,7% do tempo, ou seja, mais de um terço de ocupação da grade, entre 31 itens considerados na classificação da programação.

O levantamento mostra que houve “taxa de crescimento vertiginoso” de 89,85% da veiculação de conteúdo religioso na grade de programação da CNT.

Fonte: Jornal do Brasil

Jader ofereceu banco para gerir propina, diz delator

Foto: Tarso Sarraf (O Liberal)
(Foto: Tarso Sarraf / O Liberal)

No acordo de delação premiada, o ex­-presidente da Transpetro Sérgio Machado contou que o pagamento de propinas ao senador Jader Barbalho (PMDB-­PA) envolveu, além de doações oficiais de campanha, repasses em espécie feitos por um empresário que pretendia fechar contrato com a subsidiária da Petrobras e até a oferta de apoio “logístico” de um banco.

Nos depoimentos à Procuradoria Geral da República (PGR), o delator disse que o peemedebista o “pressionava muito” por recursos ilícitos. Machado revelou ter dado, entre 2004 e 2007, R$ 4,25 milhões para Jader, sendo R$ 1,25 milhão em contribuições eleitorais e outros R$ 3 milhões em espécie. As entregas, segundo ele, eram feitas por um funcionário da empresa de seu filho, Daniel. Parte do dinheiro referia-se a uma dívida de US$ 100 mil (R$ 348,9 mil, ao câmbio da quinta­-feira) de Jader com um advogado. Conforme a versão do delator, a quantia foi rateada e paga pelos senadores Renan Calheiros (PMDB-­AL) e Edison Lobão (PMDB-­MA), também citados como beneficiários do esquema na Transpetro. Machado afirmou que, como havia muita pressão, também cobrou suborno do empresário Miguel Iskin, que estaria tentando direcionar uma licitação na subsidiária da Petrobrás para obter contrato de tratamento de resíduos sólidos. O pagamento, cujo valor não foi informado, teria sido feito. Apesar disso, Machado disse que Iskin não fechou o negócio, que beneficiaria uma empresa francesa. “Miguel reclamou muito.”

DESGASTE

O delator contou ainda ter tido mais um problema depois disso, quando Barbalho pediu que o executivo pagasse uma dívida sua com o Banco BVA ou seu presidente, José Augusto Ferreira do Santos. Ele contou que Santos o procurou “diversas vezes” para cobrar o valor (não detalhado), mas que não fez repasse de propina para “essa finalidade”. O presidente do banco teria ainda oferecido, sem sucesso, “apoio logístico” para o pagamento de propinas a Barbalho e a outros políticos. Machado relatou que, como o pleito de Barbalho não foi atendido, houve um “desgaste” e, a partir daí, Renan passou a solicitar pagamentos para Jader na forma de doações eleitorais, feitas por empreiteiras.

Santos também foi citado em outro esquema investigado pela Lava Jato. Em sua delação, o ex-­diretor da Petrobras Nestor Cerveró disse que, entre 2009 e 2010, houve uma ordem de Edison Lobão, então ministro de Minas e Energia, para que o BVA fosse atendido na Petrobras. Lobão teria feito pressão para que o Petros, fundo de pensões da estatal, investisse na instituição financeira. O BVA faliu em 2014, o que gerou perdas para o fundo. A defesa de Lobão alega que ele “não se lembra” de conhecer Santos. A Petros investiu em títulos estruturados pelo banco e recorreu à Justiça para recuperar parte dos recursos investidos.

Jader reiterou que não recebeu favores de Machado. “Machado é um canalha e roubou a Transpetro de todas as formas.” Iskin disse que as afirmações de Machado “não são verdadeiras”. Santos não foi localizado. Os administradores da massa falida do BVA não se manifestaram.

Fonte: O Liberal

Novo prefeito de Garrafão do Norte se reúne com o ministro Helder Barbalho

(Foto: Reprodução / Facebook: Jonas Soares)

O novo prefeito do município de Garrafão do Norte, nordeste do estado do Pará, Antônio Pereira de Araújo (PMDB), esteve em Belém nesta sexta-feira (18) em uma reunião com o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, para tratar de assuntos políticos e de interesse da região, segundo publicou em uma rede social o vereador Jonas Soares (PR). Também estavam presentes no encontro o deputado estadual Iran Lima (PMDB), o ex-prefeito Francisco Chaves Franco que renunciou o mandando no inicio do mês (Saiba mais aqui) e Apoliana Franco. 

O Vereador Jonas Soares (PR), disse ainda que a nova gestão do município terá o apoio do ministro. “Estivemos em uma reunião com o ministro Helder Barbalho e o deputado Iran Lima, líder da bancada do PMDB na assembléia legislativa, onde foi declarado total apoio ao nosso prefeito Antônio Profiro”, escreveu.

Na última quinta-feira (16), em Marabá (PA), Helder Barbalho, assinou o contrato e a ordem de serviço para elaboração dos estudos, projetos básico e executivo para o derrocamento do Pedral do Lourenço, formação rochosa situada no rio Tocantins, no sudeste paraense. A obra foi autorizada em conjunto com o Ministério dos Transportes.

Por Madson Sousa