Hospital de Tailândia realiza campanha de doação de livros

(Foto: Ascom HGT)

Inaugurada no dia 12 deste mês, a Brinquedoteca do Hospital Geral de Tailândia (HGT), na mesorregião do nordeste paraense, está precisando de doações de livros, jogos educativos e material para desenho, como lápis de cor. O espaço foi criado para acolher e distrair pequenos usuários internados e/ou em atendimento no hospital, que lançou nesta sexta-feira, 28, campanha para arrecadação desses itens, que garantirão atendimento humanizado às crianças e adolescentes no espaço lúdico.

A campanha se estenderá até o final de maio, com o objetivo de coletar o maior número possível de doações. De acordo com a coordenadora do Grupo de Trabalho de Humanização do hospital, a pedagoga Elizabett Gomes, a mobilização também foi incentivada pela campanha realizada pelo Governo do Estado para promover a leitura em comunidades socialmente vulneráveis.

“Nossos usuários são pessoas carentes, cuja maioria não tem acesso e/ ou oportunidade de leitura. Então, vamos proporcionar esse momento a todos que usufruírem do nosso espaço”, ressaltou. Em 2016, a unidade realizou 1.465 partos e 1.184 atendimentos ambulatoriais em pediatria.

Segundo ela, o HGT é o único hospital do município e o mais próximo de várias localidades de parte do nordeste paraense. “Nosso fluxo de atendimento é intenso e a humanização tem que acompanhar na mesma proporção. Temos que pensar sempre em melhorar cada vez mais, especialmente para as nossas crianças e jovens”, comentou a pedagoga.

O diretor executivo do hospital, José Neto, conta que a instalação da brinquedoteca foi um antigo sonho concretizado. “Conseguimos dar o primeiro passo com o apoio de parcerias e é dessa forma que vamos melhorar ainda mais esse espaço, com a doação de livros e outros itens”, disse, demonstrando otimismo quanto ao resultado da campanha.

As doações podem ser entregues na Sala do Núcleo de Educação Permanente (NEP), no primeiro piso, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h. Com 52 leitos, o HGT oferece assistência de média complexidade para cerca de 240 mil habitantes da mesorregião do nordeste paraense.

Fonte: Agência Pará

Greve contra reformas mobiliza Belém

(Foto: Fernando Araújo / Diário do Pará)

A companhando a greve de diversos setores, que aconteceu, sexta-feira (28), em diversas cidades brasileiras, milhares de trabalhadores paraenses, representantes de sindicatos e movimentos sociais também foram às ruas, em Belém. Na capital, o trânsito ficou travado pela manhã, período que durou o protesto. Em outras cidades paraenses, manifestantes também foram às ruas, protestar contra as reformas na Previdência Social e nas leis trabalhistas propostas pelo Governo Federal.

Vários pontos da Região Metropolitana ficaram bloqueados pela manhã. Mesmo sem aula nas escolas públicas e particulares, o trânsito ficou complicado. Em Belém, as manifestações iniciaram às 6h, no bairro de São Brás. Ônibus ficaram atravessados no início da avenida Almirante Barroso, à altura da avenida Ceará. Outro grupo interditou, com ajuda de um trio-elétrico, a avenida José Bonifácio, na praça Floriano Peixoto. Com bandeiras e carro de som, os trabalhadores também protestavam contra o sucateamento dos órgãos públicos estaduais e municipais, as péssimas condições de trabalho e a falta de reajuste salarial desde 2015.

Além dos diversos piquetes que bloquearam o trânsito na capital, a concentração maior do protesto foi na Praça da República. “Estamos na luta por nós, pelos nossos filhos e netos”, disse a defensora pública Rosa Lívia Magalhães, 56.

Às 10h, os manifestantes iniciaram uma caminhada pacífica até o mercado de São Brás. As pessoas cantavam, gritavam palavras de ordem contra e levantavam bandeiras dos movimentos. A multidão que tomou conta da avenida Nazaré fez uma parada à porta da sede do INSS. “Não podem aumentar o tempo mínimo de aposentadoria. Isso não é justo”, reclamou a pedagoga Ana Martins Neves, 35.

Durante a greve geral, Belém sentiu um movimento incomum. O centro comercial teve pouco movimento, a exemplo de outros estabelecimentos em vários pontos da cidade.

A tranquilidade, no entanto, encontrou exceção nos muitos dos protestos realizados na cidade durante o dia. Um grupo de rodoviários e outros manifestantes exclamavam palavras de ordem e chegaram a, inclusive, cercar ônibus e furar os pneus do transporte para evitar a continuidade da rota, já que os rodoviários não aderiram à greve.

Acompanhando de longe, a estudante Louise Brandão, 21, apoiava a manifestação e acreditava ser uma ferramenta para lutar pelos direitos trabalhistas. “Acho bem representativo porque traz a democracia para as mãos do povo”, disse.

Cerca de 300 manifestantes atearam fogo em pneus e bloquearam a rodovia BR-316, em frente à Alça Viária, no sentido Marituba-Belém. Não houve confrontos. Duas horas depois após ter iniciada a interdição, um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF), com apoio de policiais militares, fez uma tentativa de negociação para a liberação parcial da via. Homens do Corpo de Bombeiros foram acionados para debelar as chamas.

De acordo com o diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais do Brasil (Contag), Carlos Augusto Silva, a maior parte desses manifestantes é de trabalhadores rurais do Estado. “Queremos chamar a atenção para esses trabalhadores que serão os mais atingidos por essas reformas da Previdência e Trabalhista”, critica.

Fonte: Diário do Pará

Sessão da Câmara de Garrafão do Norte é cancelada por falta de quórum

A imagem pode conter: atividades ao ar livre
(Foto: Reprodução/ Facebook)

A sessão ordinária desta sexta-feira (28) da Câmara de Vereadores de Garrafão do Norte, nordeste do estado, foi cancelada por falta de quórum. A informação foi divulgada em uma rede social pelo Vereador Flávio Sousa (PPS), que disse ter comparecido no local mas que não iria haver sessão devido ausência de alguns colegas.

A reportagem procurou o Vereador Gilvane Assunção (PR) que preside a casa para comentar sobre o assunto e o parlamentar informou “que o motivo [do cancelamento da sessão] foi um decreto de luto oficial pela morte de um servidor público”.

O decreto de luto oficial na qual o vereador Gilvane se refere é o da última quinta-feira (27) pela morte do servidor José Marinho. Porém, o decreto de três dias não alteraria as atividades das repartições públicas.

O município de aproximadamente 25 mil habitantes segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), possui 11 vereadores que são eles: Jonas Moura (PR), Gilvane Assunção (PR), Francisco Sheuly (PR), Francisco Aelito (PSB), Raimundo Nonato (PSC), Francisco Damasceno (PP), Flavio Sousa (PPS), Jose Maria (PP), Maria Aparecida (PDT), Jose Eriverton (PPS) e Akihyto Onuma (PMDB).

Por Madson Sousa

Ex-prefeito e vice de Mãe do Rio são presos

Mãe do Rio: Ex-prefeito e vice são presos    (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O ex-prefeito Badel, de Mãe do Rio, no nordeste paraense e sua vice, Isabel Rainha foram presos na manhã desta quinta-feira (27), durante a “Operação Dilúvio”, coordenada pela Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO). Além do ex-prefeito e da vice, alguns empresários da região também foram alvos da operação.

A operação trata de desvio de recursos públicos e corrupção com cumprimentos de mandados de prisão, busca e apreensão e condução.

Até o fechamento dessa publicação a Policia Civil ainda não tinha se manifestado sobre a operação e nenhum dos alvos.

Fonte: Diário Online

Nova Esperança do Piriá já recebeu mais de R$ 460 mil do FPM em abril

Resultado de imagem para dinheiro
(Foto: Divulgação)

O Governo Federal através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) já destinou ao município de Nova Esperança do Piriá, nordeste paraense, mais de R$ 460 mil reais referentes ao primeiro e segundo decêndio do mês de abril. A distribuição dos recursos do FPM é feita de acordo com o número de habitantes, onde são fixadas faixas populacionais, cabendo a cada uma delas um coeficiente individual.

Os valores já consideram a dedução do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O município ainda receberá nos próximos dias a terceira e última parte do FPM para o mês de abril.

Somados os valores totais creditados na conta da prefeitura de Nova Esperança do Piriá o montante é de R$ 469.430,71.

FPE são os Fundos de Participação dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios (FPM) e constituem uma das modalidades de transferência de recursos financeiros da União para os estados e municípios, prevista no art. 159 da Constituição Federal.

Por Madson Sousa

MP realiza audiência pública sobre envolvimento infantojuvenil com entorpecentes em Capanema

Sem título
(Foto: Divulgação)

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio dos promotores de Justiça de Capanema Nadilson Portilho Gomes e Maria José Vieira de Carvalho Cunha, realizou na última terça-feira (25), no auditório na Câmara Municipal, audiência com o tema “Políticas Públicas sobre Tráfico, Consumo e Prevenção às Drogas, envolvendo crianças e adolescentes”.

A reunião teve como objetivos coletar informações e elementos técnicos e científicos sobre os problemas do município de Capanema relacionados à infância e adolescência, para subsidiar a atuação do Ministério Público na prevenção, tratamento e repressão ao uso e tráfico de drogas pela população infantojuvenil, inclusive na execução do projeto “MP e Arte contra as drogas”. Foram realizados cadastros de entidades e pessoas físicas para atuarem como voluntários e parceiros no projeto do MP.

O promotor de Justiça Nadilson Portilho foi quem presidiu a audiência ao lado da promotora Maria José Cunha que falou da importância da família nesse processo de prevenção e resgate de jovens envolvidos com drogas.

Na audiência pública estavam presentes o prefeito municipal, Francisco Ferreira Freitas Neto, vereadores e secretários municipais, organizações civis e diversos jovens.

“Foram apresentadas denúncias de tráficos de entorpecentes em bairros da cidade, e também pedidos de mais políticas públicas de lazer, recreação, esporte e cultura para o público infantojuvenil, melhorias das condições físicas das escolas estaduais e sugestões de inclusões de mais etapas no projeto ‘MP e Artes contra as drogas’”, destacou Nadilson Portilho.

O prefeito municipal, Francisco Neto, destacou a importância do projeto do MP e que fará todos os esforços possíveis para acatar as recomendações do Ministério Público, inclusive editando a Lei Municipal criadora do Conselho Municipal Antidrogas e do Fundo Municipal Antidrogas, de acordo com o pacto assumido no lançamento do projeto “MP e Artes contra as drogas” e da revista do CAO Infância no município, no dia 4 de abril.

Fonte: MPPA

Greve geral mobiliza centrais e sindicatos contra reformas

(Foto: Sintepp)

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e a União Geral dos Trabalhadores (UGT) respondem, juntas, por mais de 230 sindicatos em todo o Estado e participam da mobilização para a greve geral de amanhã (28). O movimento reúne servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada contra as propostas de reforma trabalhista e da previdência do Governo Federal. A expectativa das centrais é de que as manifestações ocorram também em municípios do interior do Estado. O movimento poderá atingir serviços bancários, as redes públicas e privadas de ensino, portos, comerciários, correios, rede pública de saúde e outros serviços. As entidades criticam o aumento da jornada de trabalho para 12 horas por dia e o aumento dos anos de contribuição para a aposentadoria.

Em Belém, estão previstos atos de protestos durante a manhã e o início da tarde na Praça da República e na Praça Floriano Peixoto, em frente ao Mercado de São Brás. Para o dirigente nacional da CTB, Jose Marcos Araújo, o Marcão, esta será uma das maiores greves das últimas décadas. A CTB vai reunir as entidades filiadas às 10h na Praça da República e caminhar para o Mercado de São Brás. “A nossa preocupação é fazer desta uma grande greve. Será a maior greve que o Pará já teve nos últimos 20 a 30 anos. Os tribunais já decidiram parar as atividades, as igrejas do Brasil todo definiram apoio à greve. Com certeza absoluta é algo que está surpreendo até quem estava organizando o movimento. Todas as centrais sindicais juntas estão construindo com muita garra este dia 28 de abril”, afirmou Marcão. Dentre os sindicatos filiados a CTB estão três sindicatos dos trabalhadores rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba e de turismo, federação dos servidores públicos e escolas privadas.

A UGT, com 83 sindicatos filiados, cogita até fechar importantes vias da Região Metropolitana de Belém (RMB) e no interior do Estado, entre elas, a avenida Almirante Barroso a partir do Entroncamento; a avenida Augusto Montenegro com avenida Independência; a Alça Viária e Rodovia BR-316, em Marituba. No nordeste do Pará, serão fechadas, as rodovias BR-316 e Belém-Brasília, em Santa Maria do Pará; em Santarém, a Rodovia Santarém-Cuiabá e, em Marabá, a Transamazônica ou a ponte ferroviária sobre o rio Tocantins.

“Vamos para a rua para fazer valer o direito dos trabalhadores, contra a terceirização, contra a reforma trabalhista, um golpe sem precedentes nos direitos históricos conquistados”, enfatizou o presidente da UGT, José Francisco. “Sindicato pequeno irá sucumbir, porque vai ficar sem força política para negociar e o grande prejudicado será o trabalhador. Tudo isso faz parte da reforma trabalhista”, acrescentou o vice-presidente da UGT Pará, Raimundo Costa. O Sindicato dos Trabalhadores Comerciários do Pará é um dos maiores filiados a UGT.

A diretora de comunicação da CUT, Vera Paoloni, informou que a entidade estará desde a madrugada apoiando piquetes nos locais de trabalho para reforçar o movimento. “Temos uma difusão na sociedade paraense de que haverá greve. Primeiro, vamos garantir a paralisação de madrugada e de manhã cedo, por volta de meio-dia, vamos nos concentrar na Praça da República”. A CUT tem 153 sindicatos filiados no Pará, a maioria 138 são de trabalhadores rurais. Dentre os sindicatos filiados a CUT estão o Sindicato dos Bancários, dos trabalhadores Urbanitários e da rede pública de saúde.

“É preciso parar um dia para não ter o retrocesso de uma vida inteira. Vamos ficar completamente sem emprego e sem concurso com a precarização dos trabalhadores se estas duas reformas passarem. A gente vai ter reflexos muito negativos com a reforma trabalhista, com os patrões de maneira o geral, seja ele o governo e ou as empresas privadas, vão ter na mão um processo que permite precarizar mais o trabalho, como a jornada de trabalho que irá até 12 horas”, apontou.

PORTUÁRIOS

O Sindicato dos Portuários do Pará e Amapá (Sindiporto) ligados a Companhia Docas do Pará (CDP), decidiram paralisar as atividades no dia 28. As concentrações serão em frente a sede da CDP, em frente ao Porto de Vila do Conde e outra em frente ao Terminal de Miramar. Os trabalhadores pretendem fechar a rodovia Arthur Bernardes, em frente ao Terminal de Miramar, durante a manhã.

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do Pará (Sintepp) contabiliza adesão de 100% da rede estadual de ensino e até o momento 60% da rede municipal de Belém. Em todo o Pará, o Sintepp dirige 80 mil trabalhadores das redes públicas municipais e a estadual, somente no Estado são 20 mil servidores. De acordo com a coordenadora de formação do Sintepp, Silvia Letícia, diferentes manifestações serão realizadas desde a manhã por todo o Estado. Os educadores estaduais também aprovaram a greve por tempo indeterminado a partir do dia 3 de maio.

Fonte: ORM